• Catarina Correia

Gravidez e COVID-19

Atualizado: 5 de mai. de 2020

Neste momento todas as grávidas estão com o coração nas mãos. Trata-se de algo novo e a informação muda a cada dia. Muita informação errada circula na Internet e causa ainda mais pânico na população.


Uma paciente grávida sente, neste momento, uma responsabilidade extra e aguarda ansiosamente que tudo passe.


Vamos tranquilizar um pouco?


Fiz um breve resumo (de entidades e organizações fidedignas), para que saiba um pouco mais sobre o que se pôde verificar até ao momento:


- Nenhuma diretriz indica que a monitorização de grávidas deva ser feita de forma diferenciada. As consultas e exames devem ser exatamente os mesmos que até aqui estavam programados;

- Nada indica que a grávida com COVID-19 apresenta sintomatologia mais gravosa que os restantes pacientes infetados;

- Transmissão Covid-19 para o bebé: neste momento não existe nenhuma informação que indique haver transmissão vertical;

- Os casos identificados com grávidas diagnosticadas com COVID-19 não referem necessidade de colocar termo na gestação;

- Há uma tendência a parto pré-termo (em pacientes infetadas), porém pode ter outras justificações (como por exemplo, stress);

- Não há conhecimento de relacionamento direto de malformações fetais em caso de grávidas com COVID-19.


Estou grávida, o que devo fazer para me proteger?


Todas as informações facilitadas pela OMS e pela DGS devem ser consideradas.

Nomeadamente:


  • Ficar em casa;

  • Higienizar as mãos várias vezes ao dia;

  • Não tocar com as mãos na boca e nos olhos;

  • Desinfetar todo o tipo de objetos que venham da rua;

  • Criar uma zona de sujos na entrada da casa (caso saia à rua, ou viva com alguém que saia);

  • Mantenha a sua mente sã! Faça exercício (caso não esteja impedida), leia um livro, prepare-se para receber o seu bebé, apanhe sol, medite, faça uma videochamada para alguém de quem goste muito, uma infinidade de coisas possíveis para passar ao lado desta pandemia da melhor maneira;

Agora a maior e mais desafiante proposta: fique tranquila!


Espero que estas palavras possam ajudam a aquietar esses corações…





Fontes:

The American College of obstetricians and Gynecologists

Royal College of Obstetricians and Gynaecologists

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo