• Catarina Correia

5 Erros comuns de quem faz FIV / ICSI

Vais fazer FIV / ICSI? Não cometas estes 5 erros:


1- Não preparar o corpo:

É muito importante que o teu corpo esteja no seu melhor para avançar para um procedimento como este. Pensa se a tua alimentação e o teu estilo de vida estão otimizados para uma possível conceção.


2- Não preparar a mente:

Sim, a tua mente tem um papel essencial para o processo e é normal que ela esteja a precisar de voltar a “centrar”, principalmente se estás no processo há muito tempo. Se sentires que emocionalmente não estás bem, deves procurar ajuda de um psicólogo especialista em infertilidade. Ele vai-te ajudar!


3- Avançar, mesmo sem te sentires preparada:

Este erro é muito frequente. A ânsia pela gravidez é tal que muitas vezes nem paramos para pensar se é o momento certo. Outras vezes somos surpreendidas em consulta com a hipótese de começar já o ciclo de FIV/ICSI nesse próprio mês ou no mês seguinte. Se não te sentires confiante, não deves avançar. Conversa com o teu médico, ele vai compreender. Afinal, ele quer o teu melhor.


4- Não recorreres a tratamentos de medicina chinesa:

Sim, digo isto com toda a confiança do mundo e de peito e coração abertos.

Como sabem a medicina chinesa aumenta significativamente o sucesso das FIV/ICSI.

A grande maioria de casos que eu recebo de suporte a PMA (procriação medicamente assistida) são casos que já vão na 2ª, 3ª ou 6ª tentativa, outros até mais. Poucos são os que chegam para trabalharmos na 1ª intervenção. Muitas pacientes confessaram-me que, embora seguissem o meu trabalho, pensavam que a FIV seria suficiente e que o positivo vinha logo de seguida. Por vezes, chegam a fazer mais do que uma tentativa antes de procurar a MTC, mesmo sabendo de antemão a taxa de sucesso.

Uma coisa é transversal a todas, o feedback de: “se eu soubesse o que sei hoje, tinha recorrido logo quando fiz a primeira FIV”. E elas sabem porque o dizem… Não é à toa que no ano passado, de todas as pacientes a quem fiz suporte a PMA e que concluíram o processo, 96% engravidaram. Em números concretos: só um caso teve resultado negativo (b-hcg). Continuo a defender que um bom médico especialista em reprodução + um bom embriologista (com um bom laboratório) + um bom especialista em medicina chinesa, fazem os milagres acontecerem!!!


5- Fazer MTC com profissionais não especializados em infertilidade:

Sim, a medicina chinesa observa o organismo de uma forma holística (ou seja, como um todo), mas não é do nada que as especializações existem. Em Portugal ainda trabalhamos muito em MTC generalista, e muitos colegas defendem que é a única forma de trabalhar com MTC e que especializações desrespeitam esta visão holística. Certamente nunca estagiaram em nenhum hospital na China. Esta ideia caiu por terra quando estive a formar-me em Pequim. A visita aos departamentos fez-me perceber que Portugal está muito atrasado no que toca a especializações em MTC e do próprio ambiente hospitalar (e sim, eu sei que vou morrer sem conseguir ver este formato hospitalar e o trabalho multidisciplinar implementado no meu país, mas vá, mantenho a esperança nas gerações futuras).

Mas mais importante ainda, é impossível sabermos todas as patologias e desequilíbrios com a mesma profundidade que conseguimos se nos especializarmos numa única área. E isso é o que acontece com a infertilidade, é um tema que precisa de estudo e investigação contínua para resultados cada vez melhores. Aquilo que eu sabia sobre infertilidade quando terminei a minha formação, em 2013, é um grão de areia comparado com o que sei hoje, e tenho a certeza de que dentro de alguns anos direi exatamente a mesma coisa (afinal é para isso que eu estudo e invisto o meu tempo e dinheiro, é porque sei que posso melhorar ainda mais).




28 visualizações0 comentário