• Catarina Correia

Infertilidade | BAIXA RESERVA OVÁRICA & OLIGOASTENOZOOSPERMIA | Positivos de Histórias inspiradoras


Hoje vou partilhar convosco um caso muito especial para mim. Trata-se de um casal que apresenta infertilidade feminina e masculina. E são um dos casais mais amorosos que tive oportunidade de receber em consulta.


Raquel, 33 anos, baixa reserva ovárica (AMH - 0,59)

Tiago, 33 anos, oligoastenozoospermia, microdeleção do cromossoma y.


· 2017 – Início das tentativas para engravidar;

· Set/2019 1ª FIV/ICSI – TESA; 4 ovócitos, 0 embriões;

· Jan/20202ª FIV/ICSI – TESA; 10 ovócitos, 7 fecundaram, 2 embriões D3 (8C+10C), transferiram ambos. Negativo

· Jun/2021 – Início dos tratamentos de acupuntura com colega especialista em infertilidade;

· Set/2020 – DHEA

· Nov/2020 3ª FIV/ISCSI – TESE; 8 ovócitos, 4 fecundaram, obtiveram 1 blastocisto. Transferência + Acupuntura; Beta 54, positivo não evolutivo;

· Mar/2021 – Início do acompanhamento terapêutico comigo. Ajuste na suplementação, farmacopeia, alimentação e tratamentos com acupuntura em ambos. Objetivos principal: aumento da qualidade dos gâmetas;

· Mai-Jun/2021 - 4ª FIV/ICSI – TESE: Gâmetas masculinos não apresentavam qualidade suficiente, recorreram a palheta de esperma vitrificado, conseguidas através do procedimento anterior (TESA); 9 ovócitos, 8 maduros, 5 fecundaram, obtiveram 2 blastocistos. Transferência de um blasto. Positivo.


A Raquel e o Tiago são um casal jovem, mas com uma história muito bonita - ao estilo de conto infantil (com uma dose de realidade necessária). São os dois seres maravilhosos e com tão boa energia. Gostava muito que os conhecessem, assim perceberiam logo o que quero dizer.


Há 4 anos atrás, eles não imaginavam que os nossos caminhos se cruzavam (e eu tão pouco…) Este ano, chegaram até mim para os preparar para uma das fases mais importantes das suas vidas: a pré-conceção (e agora acompanhamento durante a gravidez).


Quando os recebi pela primeira vez, ambos tinham 33 anos. Eles já traziam uma bagagem grande… Lembro-me de me terem dito que, por causa da idade, sentiram, durante o seu percurso pela infertilidade, um pouco de “Eles ainda são muito novos… Tem muito tempo para conseguir engravidar”, quase como se em parte, um sistema que por vezes é austero com os casais mais maduros (como se só tivessem “acordado agora para a questão da maternidade”), com casais mais jovens, o mesmo sistema observa como se eles tivessem um tempo interminável para conseguirem alcançar a gravidez. É duro e pouco coerente.


Mas no que nos compete, nomeadamente à medicina chinesa para a fertilidade, eles já tinham feito anteriormente acupuntura, por isso não seria novidade. Fizemos um acompanhamento com alguns ajustes aqui e ali para tentarmos otimizar a qualidade dos gâmetas em ambos. Quando chegou ao momento o sonho tornou-se realidade e dentro de alguns meses passará a ser um “Sonho no colo”…





Obs: no caso dos gâmetas masculinos, não conseguimos obter comparação precisa por uso de diferentes métodos de colheita. Acabaram por recorrer a gâmetas anteriormente vitrificados. Considerando por isso que o tratamento neste âmbito não obteve os efeitos desejados.


No caso dos gâmetas femininos, estes apresentaram uma taxa de ovócitos semelhantes às punções anteriores (exceto na primeira estimulação em que o valor foi significativamente inferior), porém a taxa de fecundação e desenvolvimento foi superior, quando comparado com as FIVs anteriores.


#fiv #baixareservaovarica #oligoastenozoospermia #infertilidade #infertilidadefeminina #infertilidademasculina #gravidez #oliveiradeazemeis #sonhonocolo #catarinacorreiamtc


56 visualizações0 comentário